<span class="bn">União Europeia e América Latina: associação estratégica ou oposição hierárquica?</span><span class="as">Flavia Guerra Cavalcanti</span>

Código: 9788577401819
R$ 65,00
ou R$ 61,75 via Pix
Comprar Estoque: Disponível
  • R$ 61,75 Pix
  • R$ 65,00 Boleto Bancário
  • R$ 65,00 American Express, Visa, Diners, Mastercard, Aura, Hipercard, Elo
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

TÍTULO:

União Europeia e América Latina:
associação estratégica ou
oposição hierárquica?
Uma análise do discurso

RESUMO:

Autor(Flavia Guerra Cavalcanti)
Coedição Faperj
ISBN 978-85-7740-181-9
2015, 1ª edição, 352 p., 16 x 23 cm


DESCRIÇÃO:

Desde 1999, Europa e América Latina/Caribe vêm tentando pôr em prática uma associação estratégica. O que essa associação significa para as duas regiões? Ela difere de outras organizações estratégicas existentes hoje no mundo? Haveria nela algo de especial? Para responder a essas perguntas, que declinam o tema central deste livro, a autora se propõe a analisar o discurso das reuniões de cúpula realizadas entre a União Europeia e a América Latina/Caribe, à luz de uma perspectiva pós-estruturalista e pós-colonialista, de acordo com a qual mostra que as duas regiões, em vez de formas absolutas do ser, são um “efeito de diferenças”, ou seja, sempre se constituíram e ainda se constituem de forma recíproca.

A desconstrução realizada permite, além disso, mostrar como o discurso da associação estratégica acaba por negar os pressupostos que o sustentam. A crença de que a semelhança de valores entre as duas regiões criaria uma ordem internacional diferente daquela proposta pelos Estados Unidos se dilui quando se revelam discursos que continuam a representar o latino-americano como um “Outro” bárbaro da Europa, ainda que nem sempre se apresente com a mesma linguagem. Do século XVI ao XIX, o latino-americano foi representado como o canibal, o antropófago ou o selvagem. Hoje, ressurge na figura do migrante, principalmente daquele considerado ilegal.

O migrante latino-americano ilegal carrega, assim, a marca a dimensão contestadora do bárbaro ou do não civilizado, mas sem corresponder a uma intencionalidade de contestação própria a um sujeito autônomo e centrado. Em vez disso, é a sua simples presença que interroga e critica as políticas migratórias restritivas atualmente em vigor na União Europeia.

Não por acaso, portanto, é na questão migratória que a cisão que insiste em se manifestar na associação estratégica entre União Europeia e América Latina/Caribe se torna mais evidente. A pretensão de que haveria história e valores comuns entre essas duas regiões, formando um espaço birregional, não se justifica a cada vez que a “Fortaleza Europa anti-imigrantes” não apenas trata o migrante latino-americano como um “Outro” bárbaro, mas também reproduz o discurso colonialista de épocas supostamente ultrapassadas.

 

Flavia Guerra Cavalcanti

Doutora em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Atualmente, é professora de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

Sumário ¯    Introdução ¯ 

 

R$ 65,00
ou R$ 61,75 via Pix
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • Pix
  • PagSeguro V2
Selos
  • Site Seguro

Contra Capa Livraria Ltda. - CNPJ: 68.575.083/0001-80 © Todos os direitos reservados. 2021


Para continuar, informe seu e-mail

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência em nosso site. Para saber mais acesse nossa página de Política de Privacidade

Social